Reposição de Estoque em Pet Shops: como proceder

Saber realizar a reposição de estoque em pet shops é fundamental para que você consiga adequar o giro dos produtos e a disponibilidade financeira com os prazos e formas de pagamento acordados com seus fornecedores.

Introdução

Otimizar a reposição de estoque em pet shops a partir de uma boa negociação com fornecedores é fundamental. Alinhar os prazos e formas de pagamento com o giro do estoque e a disponibilidade de recursos financeiros é super necessário. Essa simples prática possibilita melhor administrar seu pet shop reduzindo a própria necessidade de capital de giro para a continuidade da operação.

Quando os prazos de pagamento acordados com os fornecedores no mercado pet se adequam ao giro do seu estoque e entrada de recursos provenientes das vendas realizadas fica muito mais simples desenvolver a operação e gerar melhores resultados. É por isso que neste artigo quero levantar 3 pontos muitos importantes para que a reposição do estoque em pet shops seja conduzida de modo mais profissional.

reposição de estoque em pet shops

1. Giro atual do estoque do seu pet shop

O giro atual do estoque é o primeiro ponto que devemos avaliar antes de proceder com a reposição de estoque em pet shops. Afinal, de nada adianta pensar em fazer novos pedidos junto aos fornecedores se antes você não identificar sua real necessidade de produtos. É preciso avaliar o cenário de modo estratégico para que você não caia no erro de repor os produtos errados e na quantidade errada.

De modo resumido, para avaliar o giro atual do estoque você precisa observar 3 pontos fundamentais:

1. Quantidade já comercializada de cada produto;
2. Quantidade de cada produto ainda em estoque;
3. Tempo demandado para comercializar a quantidade já vendida.

Considero importante destacar os 3 pontos acima na hora de avaliar o giro atual do estoque, pois se determinado produto em estoque demorou cerca de 6 meses para ser quase todo vendido, então é bom reavaliar a necessidade de fazer um grande pedido deste mesmo item novamente. Talvez seja mais interessante reduzir a quantidade e pedir com maior frequência por exemplo.

Quando você consegue mapear o giro atual do seu estoque fica bem mais simples entender quais produtos precisam ser pedidos e em que quantidade. Isso facilitará o ato de negociar com fornecedores no mercado pet e contribuirá para melhor destinar os recursos financeiros disponíveis.

2. Disponibilidade financeira para pagar fornecedores

Nunca é demais lembrar que uma venda realizada hoje não vai, necessariamente, gerar recursos disponíveis – dinheiro – amanhã. Em outras palavras, a forma como seu cliente paga pelos produtos vendidos no seu pet shop tem uma influência direta na sua capacidade de realizar a reposição do estoque. São os recursos financeiros provenientes da venda dos produtos em estoque que permitirá pagar pelo reposição dos mesmos. É um ciclo. Eu compro do fornecedor, vendo para meus clientes, compro novamente dos fornecedores.

Sendo assim, antes de realizar o pedido junto aos fornecedores para proceder com a reposição do estoque em pet shops devemos avaliar a projeção de receitas que o pet shop possui para que seja possível identificar quanto de recursos financeiros teremos para pagar os fornecedores. Lembre-se que uma boa relação com fornecedores proporciona melhores condições de negociação de prazos e forma de pagamento. Ficar de olho na projeção de receitas previstas é essencial para que você não caia no equívoco de apostar todas as fichas na venda dos produtos adquiridos para aí sim pagar os fornecedores. Se a coisa não sair como você espera isso pode gerar uma grande dor de cabeça e dívidas, muitas dívidas.

3. Prazo e forma de pagamento para aquisição das mercadorias

Cada fornecedor no mercado pet pode adotar uma prática comercial específica no que diz respeito a prazo e forma de pagamento, mas independente disso é importante que você consiga adequar ao máximo os prazos de pagamento acordados com o giro real do seu estoque. Jamais devemos realizar a reposição de estoque em pet shops desconsiderando esse alinhamento.

Outro ponto que vale a pena destacar a respeito dessa negociação com os fornecedores é a forma de pagamento que será aplicada. Dependendo da quantidade solicitada você pode ter um excelente poder de negociação a fim de encontrar e chegar nas melhores condições possíveis.

Ah! Só mais um detalhe…

Pode ser que eventualmente você fique com receio de não repor algum produto mesmo que este tenha pouca saída simplesmente porque existe a possibilidade de aparecer algum cliente que solicite pelo mesmo. Essa sensação de que precisa ter tal produto disponível para ser comercializado a fim de não deixar ninguém na mão é bastante comum. Mas é importante que você não se deixe levar. Afinal, investir dinheiro na reposição de produtos que pouco ou raramente saem apenas para agradar um número bem pequeno de clientes pode ser pior do que não ter tal item no seu mix. Esses produtos desviam recursos daqueles que são campeões de venda.

Na hora de realizar a reposição do estoque em pet shops é preciso pensar com bastante cautela sobre essa questão. Nem sempre vale a pena investir na reposição de certos produtos para agradar um pequeno grupo ou mesmo 1 único cliente. Vale mais a pena concentrar recursos nos produtos de melhor margem e saída porque isso sim impactará positivamente os seus resultados. Pense nisso!

Conclusão

O alinhamento entre prazo e forma de pagamento com o real giro do estoque e projeção de disponibilidade financeira é parte fundamental do trabalho de reposição de estoque em pet shops. Quando você consegue alinhar esses elementos fica muito mais simples manter um bom relacionamento com fornecedores e, claro, otimizar ao máximo todos os seus esforços comerciais a fim de obter os melhores resultados possíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *