DRE: o que é e como fazer

A DRE, junto do Fluxo de Caixa, é uma das ferramentas mais importantes quando o assunto é controle e gestão financeira empresarial. E entender o porquê disso é muito simples. Confira o artigo e aprenda sobre o tema!

O que é DRE?

DRE ou Demonstração de Resultados do Exercício é uma ferramenta que tem como propósito fornecer um retrato bem estruturado dos resultados da empresa ao longo do tempo, ou seja, trata-se de um controle financeiro que nos apresenta os resultados reais e absolutos que estão sendo gerados em determinado período.

Diferente do Fluxo de Caixa onde o Regime de Caixa é a base para atualização dos dados financeiros, a DRE utiliza o Regime de Competência para que tudo fique em ordem. E em instantes eu vou explicar para você como funciona na prática esse regime. Mas vamos entender primeiro o seguinte…

DRE

Por que utilizar a DRE?

Considerando que o principal objetivo de uma DRE é nos apresentar os resultados reais e absolutos que a empresa está gerando dentro de determinado período, sua utilização torna-se fundamental para que o controle e a própria gestão financeira da empresa seja feita de forma profissional.

Para não haver qualquer dúvida da importância da DRE, confira o exemplo abaixo onde explico como deve ser feito o registro de 3 vendas distintas…

DRE na prática

Digamos que dia 20/06, 3 clientes seus tenham optado por efetuar o pagamento das suas compras de 3 maneiras distintas: o primeiro vai pagar no dinheiro, o segundo no cartão de débito e o terceiro no cartão de crédito. Nesse caso, como devemos proceder para realizar o registro das 3 vendas na DRE?

Vamos por partes…

Em primeiro lugar, devemos considerar que existem características distintas entre as formas de pagamento escolhidas por cada cliente, ou seja, enquanto no pagamento em dinheiro o recurso financeiro estará disponível de imediato para a empresa, no cartão de débito ele estará disponível em até 3 dias e no crédito somente dali a 30 dias (não estou considerando aqui a possibilidade de antecipar recebível).

Sendo assim, enquanto no Fluxo de Caixa você terá que fazer o registro financeiro considerando a data onde os recursos financeiros provenientes de cada venda estarão efetivamente disponíveis, na DRE, por outro lado, você terá que registrar tudo na mesma data independente de quando os recursos financeiros realmente estarão disponíveis para a empresa. Mas como assim? Vamos compreender o conceito de Regime de Competência para que isso fique bem claro…

Estruturar DRE

O que é Regime de Competência?

Regime de Competência nada mais é do que o regime utilizado para atualizar corretamente a DRE. Neste regime, devemos levar em consideração a data em que o fato gerador da receita ou da despesa ocorreu. E como no exemplo anterior dos 3 clientes o fato gerador é a venda realizada, então você deve efetuar o registro financeiro na data em que a venda ocorreu e não quando o recurso financeiro está no caixa/conta da empresa conforme você pode ler no nosso post Fluxo de Caixa: o que é e como fazer.

Como fazer a DRE?

De forma bem simples e prática podemos dizer que a DRE deve possuir os seguintes blocos de informação:

[Receita Bruta]
[Receita Líquida]
[Lucro Bruto]
[Lucro Operacional]
[Resultados não operacionais]
[Resultados Financeiros]
[Resultado Bruto Antes da Provisão do Imposto de Renda]
[Resultado do Período]

Confira na imagem abaixo um modelo com todos os blocos mencionados acima…

Modelo de DRE

Agora vamos ver no detalhe o que significa cada um dos blocos…

Receita Bruta

Receita Bruta = Volume de Vendas x Preço de Venda dos Produtos/Serviços Comercializados

Receita Líquida

Receita Líquida = Receita Bruta – Impostos Incidentes.

Lucro Bruto

Lucro Bruto = Receita Líquida – Custo da Mercadoria Venda (CMV).

Lucro Operacional

Lucro Operacional = Lucro Bruto – Despesas Gerais.

Resultados não operacionais

Resultados não operacionais = receitas que não estejam ligadas a atividade principal do negócio

Ex.: aluguel de algum imóvel que esteja no nome da empresa).

Resultados Financeiros

Resultados financeiros = receitas obtidas com juros de investimentos financeiros realizados junto a Bancos.

Resultado Bruto Antes da Provisão do Imposto de Renda

Resultado Bruto Antes da Provisão do Imposto de Renda = (Lucro Operacional + Resultados não operacionais + Receitas Financeiras) – (Despesas Financeiras + Despesas não operacionais)

Resultado do Período

Resultado do Período = Resultado Bruto Antes da Provisão do Imposto de Renda – Impostos provisionados

Conclusão

A DRE é uma ferramenta extremamente valiosa para todo e qualquer negócio. É preciso utilizá-la no dia a dia da operação aplicando o conceito do Regime de Competência para mantê-lo corretamente atualizado tornando possível ter uma visão macro dos resultados positivos ou negativos da empresa em um determinado período para, a partir daí, realizar as análises necessárias e tomar as decisões financeiras que darão suporte para o desenvolvimento do negócio.

Próximos passos…

Você gostaria de saber se suas práticas administrativo-financeiras estão adequadas?

Na Negocioteca você pode realizar um diagnóstico financeiro empresarial e receber um direcionamento inicial de especialistas para potencializar seu planejamento financeiro empresarial. Confira e cadastre-se para conhecer nosso trabalho 🙂

3 comentários sobre “DRE: o que é e como fazer”

  1. Pingback: Fluxo de Caixa: o que é e como fazer - Negocioteca

  2. Pingback: Capital de Giro: o que é e como calcular - Negocioteca

  3. Pingback: Gestão Comercial: o que é e como realizar - Negocioteca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *