Conciliação Bancária: o que é e como realizar

Realizar a conciliação bancária a fim de garantir a consistência de todos os dados dos seus controles financeiros faz muita diferença para uma boa gestão.

O que é conciliação bancária?

Continuamente seu negócio gera dados financeiros em relação a receitas, custos e despesas realizadas que precisam ser lançadas em seus controles financeiros para que tudo fique devidamente documentado e você tenha uma visão clara de como anda a saúde financeira do seu negócio. Mas como garantir que não haverá qualquer inconsistência entre os valores que de fato circulam pela conta corrente da empresa e aquilo que foi registrado nos controles de Fluxo de Caixa e DRE? A conciliação bancária diz respeito exatamente a isso!

Para garantir que todos os dados lançados em seus controles financeiros estejam corretos, torna-se necessário conciliar os dados inseridos em tais controles com os valores que estão circulando na conta corrente da empresa a fim de evitar inconsistências que venham a prejudicar sua capacidade de compreender o cenário financeiro do seu negócio.

Então resumindo: conciliação bancária é verificar se os dados atualizados nos controles refletem os valores que estão realmente entrando e saindo da conta/caixa da empresa.

conciliação bancária

Por que realizar a conciliação bancária?

Sejamos bem objetivos… Se você analisar seus dados financeiros olhando lá sua planilha ou software de gestão financeira e os dados não refletirem a realidade, vai acontecer o seguinte: você tomará decisões importantes no seu negócio com base em dados incorretos, ou seja, sua decisão será baseada em um cenário A quando na verdade o cenário é B. Vai dar m#@!%. Então para ficar ainda mais claro…

Digamos que exista hoje algumas inconsistências no Fluxo de Caixa de uma determinada clínica veterinária (confira o post Fluxo de Caixa: o que é e como fazer) em virtude do registro de alguns dados de maneira incorreta. E digamos também que o dono dessa clínica veterinária precise avaliar se há disponibilidade financeira no momento para realizar a aquisição da nova máquina que a clínica necessita.

Para tomar sua decisão de compra, o empresário em questão abre sua planilha financeira e verifica que, de acordo com os registros, há recursos suficientes para assinar o contrato de compra com o fornecedor. E acreditando na consistência dos dados analisados, o empresário sequer olha a conta corrente para verificar se estava tudo em ordem de fato.

Eu sei que pode parecer algo inusitado e que dificilmente ocorreria na prática (decidir a compra sem sequer olhar a disponibilidade de recursos na conta corrente). Afinal de contas, quem vai deixar de olhar a conta corrente da empresa para verificar se há ou não dinheiro disponível, certo? Mas você pode ter certeza que isso é super comum. Até porque os controles financeiros servem exatamente para isso, correto? Você registra tudo certinho fazendo a conciliação bancária justamente para garantir que aquilo que você está olhando reflete a realidade.

A questão central aqui é que para que os dados registrados não apresentem qualquer inconsistência é fundamental que a conciliação bancária seja continuamente realizada. Fazer o controle financeiro sem realizar tal conciliação é um equivoco que pode custar caro. Bem caro. É exatamente por isso que a conciliação bancária precisa ser feita.

como realizar a conciliação bancária

Como realizar a conciliação bancária?

Não há mistério aqui. Para realizar a conciliação bancária tudo que você precisa fazer é cruzar os dados entre aquilo que saiu e entrou na conta corrente e/ou caixa da empresa com o que de fato está sendo registrado nos controles financeiros. Essencialmente falando é isso. Por exemplo…

Digamos que uma determinada pizzaria receba muitos pagamentos no crédito. Como essa pizzaria deverá realizar a conciliação bancária? Teremos 4 passos a seguir:

1. Cruzar os valores dos canhotos emitidos com o previsto para entrar na conta corrente da empresa;

2. Verificar quando os valores previstos de fato estarão disponíveis na conta corrente;

3. Registrar os valores nos controle financeiros de Fluxo de Caixa e DRE (confira o post DRE: o que é e como fazer) considerando os regimes de caixa e de competência para que tudo seja atualizado corretamente (nos posts sobre Fluxo de Caixa e DRE você tem mais informações sobre esses regimes);

4. Verificar se na data prevista os valores a receber de fato foram creditados.

É claro que a conciliação bancária não se resume as vendas a crédito. Nessa pizzaria, assim como na sua empresa, é necessário realizar a conciliação em relação a todas as receitas, custos e despesas para que todos os dados, sem exceção, apresentem a devida consistência.

Conclusão

O cruzamento de dados entre aquilo que você registra nos seus controles financeiros e os valores que de fato estão circulando na conta corrente da sua empresa é absolutamente fundamental quando pensamos em realizar uma gestão financeira mais profissional.

Quando você não realiza a conciliação bancária a fim de garantir que os seus controles financeiros refletem a realidade, decisões equivocadas acabam sendo tomadas.

Sendo assim, dê uma atenção especial a isso para que você não corra o risco de pensar que o cenário financeiro do seu negócio é um quando na verdade é outro. Mantenha um olho na conta corrente e o outro nos controles financeiros cruzando todos os dados para ter certeza de seus dados são consistentes e suas decisões financeiras acertadas.

Próximo passo…

Você gostaria de saber se suas práticas administrativo-financeiras estão adequadas?

Na Negocioteca você pode receber um diagnóstico e direcionamento inicial de especialistas para potencializar sua gestão financeira empresarial. Confira e cadastre-se grátis para conhecer nosso trabalho 🙂

1 comentário sobre “Conciliação Bancária: o que é e como realizar”

  1. Pingback: Controle Financeiro no seu Pet Shop: 5 passos para realizar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *